quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Torcedores avenidenses veem na Arena o renascimento do clube

Ex-presidente Claudio Hansel acredita em momento especial e de salto histórico do clube

A partir desta quarta-feira, 14, começa a ser colocado no papel o que pode ser a maior obra da história de Santa Cruz do Sul. Representantes da Philomeno Imóveis e Participações S/A chegam por volta das 14 horas na cidade para a primeira vistoria técnica da atual sede do Esporte Clube Avenida, na Rua São José. O representante da empresa, que negocia diretamente com o clube, Carlos Alexandre Gentil Philomeno Gomes, promete vir acompanhado de engenheiros e arquitetos, que deverão confeccionar em até 15 dias um anteprojeto – noções preliminares – para em 60 dias ter em mãos um projeto final. A parceria por ele proposta, dá conta da construção de uma arena multiuso no valor de R$ 100 milhões, com capacidade de 30 mil pessoas sentadas no que hoje abriga o estádio dos Eucaliptos, afora a estrutura no entorno: hotel, teatro, cinema, academia e centro de convenções.
 
A notícia causou furor em Santa Cruz, principalmente entre os avenidenses. Também pudera. O empreendimento pode colocar o Periquito como clube de melhor estrutura do interior do Estado até 2014. Por isso, o Portal Gaz  resolveu ouvir conselheiros atuais, ex-dirigentes e ex-presidentes do clube para saber qual a expectativa deles para o projeto. O resultado foi o esperado: otimismo e apoio geral às negociações conduzidas por Jair Eich com  Carlos Alexandre Gentil Philomeno Gomes. 

O ex-presidente e conselheiro ativo do clube Claudio Hansel, de 68 anos - a maioria deles e dos cabelos brancos dedicados ao Periquito -, é taxativo. "Pode anotar: o 10 de agosto de 2012 será a data do renascimento do Avenida", comemora.

Hansel lembra que, até pouco tempo atrás, dívidas trabalhistas e problemas legais com a documentação do clube faziam com que uma nuvem negra de incertezas e insegurança pairasse sobre a São José. Hoje a situação é diferente. "O Avenida tem toda a sua parte burocrática organizada, e os encargos trabalhistas sendo acertados com a Justiça. A Arena seria a redenção definitiva", comenta ele que é um dos ex-dirigentes mais próximos ao presidente Jair Eich.

Comandante do clube do povo em cinco legislaturas, inclusive no acesso à Primeira Divisão em 1998, João Itamar Rodrigues, o Dóia - que hoje, aos 75 anos, é aposentado e tem atenção especial com a saúde -, corrobora da opinião de Hansel. "O clube pode e tem que crescer. Fazer com que esse patrimônio que hoje existe seja renovado e ampliado, como diz esse projeto", aponta. "Isso faz o clube se movimentar e aparecer mais", complementa.

Não menos otimista é o ex-diretor de futebol Álvaro Alberto Assmann. Taxista conhecido no Centro de Santa Cruz, ele não esconde a vontade de ver a nova casa de pé. "Seria um acréscimo inestimável ao clube, um patrimônio para sempre. Assmann, no entanto, pondera: "Tudo tem que ser bem feito, com segurança. Seria uma alegria imensa", diz.


LÚCIO COLLETI TAMBÉM COMEMORA

Um dos dirigentes mais identificados com a vitoriosa história recente do clube na última década, tendo trabalhado nos acessos alviverdes à elite em 2008 e em 2011, o ex-diretor de futebol do Avenida, Lúcio Colletti, trabalha hoje na função de gestor do futebol do Brasil-PEL, um dos clubes mais importantes do Estado.

Em meio as disputas da Série D - o Xavante tem duelo decisivo contra o Juventude, no domingo -, Lúcio diz que acompanhou a proposta e os desdobramentos iniciais pelo Portal Gaz. "Se vier a se concretizar, será um bem imenso para o clube e para a cidade. Foi uma pena o rebaixamento deste ano, mas o clube vai dar a volta por cima, tenho certeza", torce.


E O CONSELHO APROVA O PROJETO DA ARENA?

Como toda associação de interesse coletivo, o Esporte Clube Avenida tem um Conselho Deliberativo (CD), que responde pelas atitudes a serem tomadas pela entidade em quaisquer situações. O atual presidente do Conselho avenidende é Ivan Textor, que acompanha o clube desde a juventude.

Ele explica que, assim que estiver todo no papel, o projeto será apresentado aos conselheiros, imediatamente. "Faremos tudo como manda o estatuto. Tudo na legalidade. Não vamos queimar etapas", comenta.

O CD Periquito tem 45 membros, sendo 25 deles ativos - ex-presidentes são conselheiros vitalícios e alguns estão afastados por problemas pessoais ou de saúde. Pela proximidade e convergência de ideias, Textor acredita que o projeto deve ser aprovado com o apoio irrestrito dos membros. "A gente está engatinhando, mas se tudo der certo, seria como ganhar na Mega-Sena. Uma vida nova, e uma visibilidade jamais conseguida para a cidade", aponta.

Informalmente, o Portal Gaz conversou com boa parte dos conselheiros avenidenses. Pelo levantamento pessoa a pessoa, a aprovação ao projeto, que deve estar pronto em 60 dias, deve ser praticamente unânime. As principais lideranças acenam com apoio irrestrito às ações de Eich na condução do processo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário