sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Guarany de Bagé demite técnico Osvaldo Rolim

Técnico foi informado da demissão na madrugada de quinta-feira
Uma jornada iniciada junto a um projeto, no dia 7 de junho, com o anúncio oficial da contratação, e que perdurou até a madrugada de quinta-feira. Esse foi o período que durou a terceira passagem do técnico Osvaldo Rolim pela casamata do estádio Estrela D’Alva.

Com uma vitória, um empate e uma derrota na Série B do Campeonato Gaúcho, o profissional foi informado da demissão por volta da 1h em reunião realizada na Churrascaria Cinturão e que contou com a presença de todos os integrantes do departamento de futebol.Frustrado, no entanto extremamente consciente, o profissional conversou com a reportagem do Jornal MINUANO por volta de 30 minutos durante a madrugada.

 Chateado, Rolim classificou como precipitada a decisão da direção. O ex-goleiro argumentou o pouco tempo de trabalho, a série de contusões e a impossibilidade de colocar “o time ideal” em campo como principais empecilhos para o alcance de melhores resultados.

- Não deram tempo ao tempo. Foram trazidos jogadores de todos os cantos do Estado e esperavam uma resposta imediata, argumenta.

Com uma campanha inconsistente nas primeiras rodadas, quatro pontos conquistados em nove disputados, a expectativa de melhora era grande entre a comissão técnica. No treino de quarta-feira à tarde, inclusive, uma formação com seis alterações estava sendo armada para o duelo em Crissiumal.

- O único resultado anormal na nossa campanha foi o empate com o Três Passos. Perder clássico faz parte. Vínhamos enfrentando campos pesados, com jogadores expulsos e atletas que se encontram em estágios diferentes de preparação, observa.

Um grupo de Série AA qualidade do elenco alvirrubro é inquestionável na avaliação do treinador. Porém, a contratação de um grupo de atletas experimentados em clubes de Primeira Divisão prejudicou a formação de um time conforme exigência da competição.

- O Guarany tem todas as condições de ser campeão. Mas precisa agregar atletas que entendam o espírito da Série B. Alertei desde o início das contratações, mas a palavra final não era minha, revela.

Prosseguimento da carreiraAo contrário do primeiro semestre, que não previa uma saída do município, Rolim está decidido a seguir carreira independente de onde surgir a proposta.

- Consegui organizar meus compromissos e quero dar seguimento na minha carreira. Sou Guarany, sou amigo de todos dirigentes, mas se eu receber uma proposta interessante, hoje, saio de Bagé, afirma.

Marcel Nunes - Jornal Minuano

Nenhum comentário:

Postar um comentário