domingo, 27 de maio de 2012

Presidente Jorge Rocha faz balanço positivo da participação do Riopardense na Divisão de Acesso


Foram 18 jogos, 25 gols anotados e sete vitórias que levaram os torcedores rio-pardenses ao delírio. Essa foi a trajetória da Associação Riopardense na Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho em 2012. 

Mesmo não conseguindo classificação para a segunda fase, a sensação compartilhada pela direção e torcedores é de dever cumprido, pois o Peixe rio-pardense, apesar de todas as dificuldades, evitou o rebaixamento para a terceira divisão, feito não alcançado por clubes tradicionais do nosso estado como o SC Rio Grande (o vovô do futebol brasileiro), o 14 de Julho, o Guarani de Venâncio Aires, o Sapucaiense e o Juventus de Santa Rosa. 
 “Somos vitoriosos”, sintetiza o presidente Jorge Rocha. “Conseguimos trazer o futebol profissional para o cotidiano das famílias rio-pardenses após aproximadamente quatro décadas de uma tentativa frustrada de figurar Rio Pardo no cenário futebolístico gaúcho”, afirma Jorge Rocha.

Foram nove tardes de domingos e quartas-feiras que as famílias rio-pardenses puderam ir até o estádio Amaro Cassep e desfrutar de momentos inesquecíveis de lazer e paixão pelo esporte. Jorge Rocha avalia que o Riopardense conquistou o seu espaço nos corações da comunidade. “Logo quando iniciamos esse projeto de termos uma equipe de futebol profissional em nossa cidade recebemos diversas críticas, porém, gradativamente, fomos mostrando a todos que o futebol é uma diversão popular e que Rio Pardo, por seu protagonismo histórico, também deveria ter uma equipe de futebol de nível profissional”, salienta o presidente.

Hoje a Associação Esportiva, Cultural e Recreativa Riopardense está perto de completar três anos de existência e, desde seu início demonstrou não estar de brincadeira quando o assunto é competição. Ao todo o Riopardense disputou, até o presente momento, 04 campeonatos, duas vezes a Copa Federação Gaúcha de Futebol e duas vezes a Segundona Gaúcha, que é chamada hoje de Divisão de Acesso e, em todas essas participações, desempenhou um trabalho sério, honesto e comprometido com a comunidade rio-pardense. E o presidente garante que o objetivo maior será sempre honrar a pátria rio-pardense. “Temos orgulho de Rio Pardo, é a nossa terra e a nossa paixão, por esse motivo, todas as vezes que o Riopardense estiver disputando uma competição em qualquer rincão deste Rio Grande gaúcho, lá estará hasteado a bandeira da nossa cidade, tremulando, forte e altaneira, representando os nossos 40 mil torcedores fanáticos” destacou Jorge Rocha.

A seguir uma breve entrevista do presidente Jorge Rocha:

Como é ser presidente do time do coração dos rio-pardenses?

Olha, é uma alegria que não cabe dentro do peito. Sinto um orgulho e uma emoção muito grande, por isso que quando dou uma entrevista às rádios, aos jornais eu não consigo conter esses sentimentos e acabo sempre muito emocionado, quase não conseguindo falar. Eu só tenho uma coisa a dizer nesse sentido: Obrigado Rio Pardo, obrigado à Associação Riopardense e a minha diretoria e, principalmente, obrigado aos fiéis torcedores rio-pardenses que compareceram em todos os jogos da equipe no Amaro Cassep e torceram com bravura e respeito pelo nosso Peixe.

O Riopardense deverá disputar algum campeonato no segundo semestre?

A direção do clube ainda não se reuniu para deliberar acerca dessa questão. Confesso que estamos um pouco divididos, pois a Copinha é altamente deficitária, não recebemos apoio algum da Federação e todos sabem que manter um grupo de atletas profissionais é muito caro, pois além do salário dos atletas, comissão técnica e funcionários, temos de computar gastos com alimentação, transporte, material de jogo e treino, medicamentos, gastos médicos, exames e também as situações que se apresentam no dia a dia do clube que acabam consumindo uma boa quantia de recursos. E para piorar nossa situação o apoio que recebemos do empresariado é muito aquém do que necessitamos. Mas a direção irá se reunir e em breve deveremos anunciar a participação ou não do Riopardense.

Você irá se licenciar da presidência do clube em virtude das eleições 2012?

Isso é uma situação que ainda estou analisando, pois eu sou pré-candidato a vereador nestas eleições e se entender que essa situação poderá prejudicar a Associação Riopardense com absoluta convicção irei me desvincular totalmente do clube, pois o Riopardense não é meu e nem de partidos ou ideologias, quem comanda é o povo rio-pardense. Nos próximos dias deverei anunciar, junto com a direção, os rumos que iremos tomar no próximo semestre.

Considerações finais

Novamente quero agradecer do fundo da minha alma, a todos os rio-pardenses que sempre estiveram e irão estar do nosso lado durante essa caminhada. Quero também agradecer ao Prefeito Joni Rocha, grande incentivador do esporte no município e aos membros da direção e aos colaboradores que viabilizaram, junto comigo, a Associação Riopardense: um fraterno abraço aos meus irmãos e amigos Telmo Berger, Rodrigo Magalhães, Idalino Varreira, Igone e a Vera, Élcio Forrati, a dona Teresinha, o Miguel Rocha e a Paula, Dauro Haas (Chapolin), Mauro Bica, Paulinho França, Diego Bierhals, Salvador Bittencourt (Pacote) e a minha esposa Juliana Rosa, grande colaboradora do clube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário